Informação sobre psoríase, causas, sintomas e tratamento da psoríase, com diagnóstico do grau de gravidade de cada situação e dando dicas para que quem sofre com psoríase, doença crônica infecciosa, possa melhorar a sua qualidade de vida.


Modalidades clínicas da psoríase

Podemos distinguir três modalidades clínicas da psoríase, a psoríase vulgar, a psoríase pustulosa e a psoríase artropática. A psoríase vulgar responde por cerca de 90% dos casos que, por sua vez, apresenta as formas "pontuada", "em gotas", "numular", "geográfica", etc. A psoríase pustulosa caracteriza-se por pústulas estéreis, que acometem as palmas e as plantas ou são generalizadas, nem sempre apresentando lesões típicas da psoríase. A psoríase artropática lembra muito a artrite reumatoide e pode ser tão debilitante quanto ela, não se encontra, no entanto, o fator reumatoide no soro do paciente.
A doença evolui por surtos de intensidade variável durante toda a vida. Pode, porém, desaparecer durante um tempo mais ou menos longo, de meses ou anos, espontaneamente ou após terapêutica.
O prognóstico depende da gravidade e da extensão do acometimento inicial. Em geral, observa-se que quanto mais cedo ocorrer a doença, pior o prognóstico. As crises agudas em geral melhoram logo, mas a remissão total do quadro é rara. Nenhum dos métodos terapêuticos conhecidos até hoje garantem a cura, mas é possível controlar a doença na maioria dos casos. O tratamento deve ser sempre acompanhado por um médico.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL