Informação sobre psoríase, causas, sintomas e tratamento da psoríase, com diagnóstico do grau de gravidade de cada situação e dando dicas para que quem sofre com psoríase, doença crônica infecciosa, possa melhorar a sua qualidade de vida.


segunda-feira, 16 de maio de 2016

Gravidade da psoríase

A gravidade da psoríase pode variar desde 1 ou 2 lesões praticamente assintomáticas, até doença generalizada com esfoliação e artrite debilitantes. A causa da doença é desconhecida, mas sabe-se que a descamação espessa deve-se a um aumento na velocidade de proliferação das células epidérmicas. Cerca de 2 a 4% da população branca é acometida. Entre os negros esta porcentagem é bem menor. O aparecimento da doença em geral dá-se entre a 1ª e a 4ª década de vida, mas nenhum grupo etário está livre do risco. É comum haver história familiar de psoríase. O estado geral do paciente não é afetado, exceto pelo estigma psicológico de uma doença "feia", a menos que haja artrite grave ou esfoliação resistente ao tratamento. A psoríase é mais frequente no sexo feminino antes da puberdade, enquanto que no homem, a doença costuma iniciar-se mais tarde, entre os 15 e 30 anos de idade. Em apenas 2% dos pacientes, a psoríase se instala após os 60 anos de idade. O aparecimento da doença em geral é gradual. A evolução típica do quadro se dá com remissões e recidivas crônicas (às vezes com exacerbações agudas), que variam tanto na freqüência quanto na duração. Há diversos fatores relacionados com o aparecimento das erupções psoriásicas. Entre eles temos traumatismo local (fenômeno de Koebner, que se constitui no aparecimento de lesões sobre o local onde ocorreu um trauma), queimadura solar intensa, estado emocional, medicamentos tópicos, suspensão de tratamento com corticoides, pós infecção das vias aéreas superiores (principalmente em crianças).
As lesões, eritemático-escamosas ou descamativas, têm limites nítidos, tamanhos e formas diversas, podendo surgir em qualquer parte da pele, ainda que sejam mais habituais em certos locais (couro cabeludo, cotovelos, joelhos, o dorso e as nádegas). Com efeito, as lesões podem ser muito pequenas, em pontos (psoríase pontuada), de tamanho lenticular (psoríase em gotas ou psoríase lenticular), ou do tamanho de moedas (psoríase numular), porventura em forma de anéis (psoríase anular) ou em figuras serpiginosas (psoríase serpiginosa), às vezes muito extensas (psoríase geográfica). É óbvio, porém, ser possível aparecerem no mesmo doente diversas modalidades morfológicas. As lesões podem ser muito discretas em qualquer região do corpo, surgir em locais dispersos e até em toda a superfície cutânea.


Outros problemas associados à pele podem incluir assadura, cravos na pele, escurecimento da pele e pele hiperelástica entre outras.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL